Escolha seu país e língua:

África

  • Global
  • Angola
  • Botsuana
  • DRC
  • ethiopia
  • Gana
  • Quênia
  • malawi
  • Moçambique
  • namibia
  • Nigéria
  • África do Sul
  • Tanzânia
  • Uganda
  • zambia
  • zimbabwe

Américas

  • EUA
  • Argentina
  • Brasil

Ásia-Pacífico

  • China
  • Índia
  • Japão
  • Coreia do Sul
  • Austrália

Europa

  • França
  • Alemão
  • Itália
  • Países Baixos
  • Reino Unido
Voltar

Ícone mundial da luta pela liberdade, pela democracia e pela igualdade, Nelson Mandela faria 100 anos em 18 de julho de 2018. Em tempos de intolerância, preconceitos e injustiças, conhecer a história de Madiba, como é chamado carinhosamente pelos sul-africanos, e entender seu legado se faz ainda mais necessário. Nessa missão livros e filmes, por exemplo, podem ajudar, mas não há forma mais interessante de conhecer a trajetória do líder que percorrendo seus passos em uma viagem à África do Sul.

PPara quem tem interesse em conhecer de perto os locais que marcaram essa história, o Turismo da África do Sul criou o aplicativo "Madiba’s Journey" (ou "a Jornada de Madiba"), que indica, com riqueza de detalhes, 100 experiências relacionadas à vida de Mandela na África do Sul. É possível acessar textos e áudios a respeito delas, mapas e galerias de fotos. Além disso, utilizando dados de localização dos usuários, o app indica em tempo real a que distância eles se encontram das atrações, podendo ajudar também na organização de itinerários.

Para quem passa por Joanesburgo, vale a pena começar a viagem com uma ida ao Soweto. O bairro é uma das chamadas “townships”, áreas urbanas criadas no período do Apartheid para a habitação de não-brancos, já que estes não podiam viver nos centros das cidades. Soweto foi um importante foco de resistência ao regime de segregação racial, abrigando líderes como Nelson Mandela, que morou lá por 15 anos. É possível visitar sua casa, museu que está localizada na Vilakazi Street¸ única rua do mundo onde viveram dois vencedores do Prêmio Nobel da Paz: o arcebispo emérito Desmond Tutu e Nelson Mandela.

Ainda em Joanesburgo, merece destaque o Museu do Apartheid, que  conta de forma interessante e emocionante a história do regime de segregação racial: de como ele começou às histórias de resistência e luta pelo seu fim. Vale visitar também Liliesleaf, fazenda onde se encontravam os principais ativistas contra o Apartheid e onde foram presos alguns deles. Por fim, é interessante ir ao Constitution Hill. Hoje sede do Tribunal Constitucional da África do Sul, foi uma prisão pela qual passaram importantes líderes políticos, como Mahatma Gandhi e Nelson Mandela.

Indo para a Cidade do Cabo, também não faltam experiências relacionadas à vida do líder e à história do Apartheid. É imperdível a ida até a Robben Island, ilha localizada a 30 minutos de barco do V&A Waterfront. Ela já foi base militar, colônia de leprosos e uma das prisões mais importantes do período de segregação racial, onde Mandela passou 18 dos 27 anos em que ficou encarcerado. O tour na ilha permite uma melhor compreensão de como era a vida dos que viveram por lá, sendo dividido em duas partes: uma a pé por dentro da prisão, guiada por um ex-prisioneiro político, e uma de ônibus pela ilha.

No centro da cidade, é interessante conhecer o Museu District Six, que conta a história do bairro de mesmo nome, onde ocorreu uma remoção forçada de pessoas. Os moradores não-brancos foram levados pelo regime do Apartheid para o subúrbio da cidade, para as já citadas “townships”, e suas residências foram completamente destruídas. É possível visitar o museu ou mesmo o bairro sendo guiado por um antigo morador da região com histórias importantes e emocionantes para contar.

Quem estender a viagem até a cidade de Port Elizabeth pode visitar a escultura Volting Line, que representa as primeiras eleições democráticas da África do Sul, realizadas em 1994. Já para aqueles que vão até a província de KwaZulu-Natal, um ponto interessante é Howik, local da captura de Mandela, onde há uma escultura em sua homenagem. O local fica há 1h30 de Durban, principal cidade da região.

Mais experiências espalhadas por toda a África do Sul podem ser encontradas no aplicativo.

Mandela nasceu em Mvezo, pequeno vilarejo tribal localizado na província sul-africana de Eastern Cape, em 1918. Ainda jovem se envolveu no ativismo político e, com o passar dos anos, se tornou uma das mais importantes figuras na luta contra o Apartheid, regime de segregação racial que perdurou em seu país de 1948 a 1994. Depois de passar 27 anos na cadeia, saiu para ser eleito presidente da África do Sul nas primeiras eleições democráticas do país, em 1994. A partir dali, comandou o fim do regime de Apartheid e iniciou o movimento para acabar com a segregação racial. Antes disso, em 1993, ganhou um Prêmio Nobel da Paz. Faleceu aos 95 anos, em 2013. 

Para aqueles que querem conhecer melhor a história de Madiba sem se locomover até sua terra natal, o escritório de turismo da África do Sul está preparando uma série de eventos que serão realizadas a partir de setembro. Em breve serão divulgadas mais informações sobre o que vem por aí.

“A África do Sul e o mundo devem muito a Mandela, especialmente nesse momento em que estamos vendo tanta injustiça e desigualdade. Lembrar de sua história, e de como superou preconceitos para nos deixar lições preciosas a respeito de amor e perdão é um pouco do que podemos fazer em homenagem a ele", diz Tatiana Isler, representante do South African Tourism no Brasil.

O aplicativo Madiba’s Journey está disponível para download no iTunes da Apple (para smartphones com sistema iOS) e no Google Play (para Android).

Links para download do aplicativo:

 iTunes: http://migre.me/poYGv

Google Play: http://migre.me/poYJL

Direito autoral © 2018 Departamento de Turismo na África do Sul
|Termos e condições|Aviso de isenção|Política de privacidade